F1 News

Sete pilotos estão em fim de contrato

Confira quais são os sete pilotos que estão em seu último ano de contrato

3 de janeiro no 10:07
Última atualização 3 de janeiro no 10:10
  • GPblog.com

A temporada da Fórmula 1 começará em dois meses e as equipes já estão se preparando para um ano desafiador. Sete pilotos estarão sob pressão extra, pois seus contratos se encerram no final do ano. Quais deles ainda veremos no grid em 2024?

Hamilton

Lewis Hamilton ainda tem o grande sonho de ganhar seu oitavo título mundial e assim superar Michael Schumacher em número de títulos. Entretanto, isto não vai ser fácil, pois a Mercedes tem um longo caminho a percorrer. A equipe esteve atrás da Ferrari e da Red Bull Racing durante a maior parte de 2022, exigindo que ela fizesse grandes progressos.

No entanto, o britânico tem total confiança em sua equipe e anunciou no ano passado que está ansioso para estender seu compromisso com a Mercedes. Enquanto Toto Wolff também está aberto a uma parceria mais longa, a Mercedes, com seu histórico na pista, certamente não quer abrir mão de Hamilton. Portanto, parece provável que o sete vezes campeão mundial seja um dos primeiros pilotos fora desta lista.

Sargeant

Logan Sargeant está entrando em sua primeira temporada na Williams. O talento americano não parece ser capaz de fazer muito pior do que Nicholas Latifi, que dificilmente conquistou algum ponto para sua equipe nas últimas temporadas. Ao mesmo tempo, a Williams ainda não resolveu todos os seus problemas e está se preparando para mais um ano difícil.

O piloto terá a chance de se desenvolver em 2023, mas terá que convencer a equipe que ele é a pessoa certa para o futuro. De fato, com pessoas como Daniel Ricciardo nos bastidores, que agora é piloto reserva na Red Bull no próximo ano, e Mick Schumacher, que desempenha o mesmo papel na Mercedes, a Williams tem outras opções caso o novato não mostre o seu valor.

De Vries

Nyck de Vries é a esperança da AlphaTauri. O holandês teve que esperar anos para ter a sua chance na Fórmula 1, mas nesse meio tempo ele conseguiu vencer tanto o campeonato da Fórmula E quanto o da Fórmula 2. Como resultado, ele já provou extensivamente que está pronto para dar o próximo passo em sua carreira. No entanto, ainda não se sabe se ele consegue lidar com a pressão da próxima temporada.

Inicialmente, ele parece ser a pessoa ideal para ajudar a AlphaTauri, mas ele terá que mostrar isso em 2023. Afinal de contas, sua nova equipe lhe deu um contrato de apenas uma temporada, então ele terá que entregar resultados imediatamente. Ao mesmo tempo, a AlphaTauri provou nos últimos anos que gosta de dar oportunidade para seus pilotos e, portanto, espera-se que De Vries também tenha tempo para se desenvolver no próximo ano.

Tsunoda

A AlphaTauri não estará de olho apenas no desempenho de De Vries, já que Yuki Tsunuda também tem apenas um ano contrato restando. No entanto, o japonês está mais pressionado do que seu novo companheiro de equipe. Ele não conseguiu se provar durante as duas últimas temporadas e, portanto, há uma chance real de que ele esteja em seu último ano com sua equipe atual.

Embora seu desempenho tenha ficado muito atrás do de Pierre Gasly, Tsunoda também teve algumas atitudes estranhas em 2023. Sua equipe chamou sua atenção várias vezes no ano passado, enviando um sinal claro para o piloto japonês. Se ele não conseguir corresponder às expectativas novamente neste ano, ele provavelmente terá que procurar por outro desafio.

Magnussen

No ano passado, Kevin Magnussen de repente teve a oportunidade de entrar na Fórmula 1 pouco antes do início da temporada. Isto porque a Haas F1 rompeu o contrato com Nikita Mazepin logo após a invasão russa na Ucrânia. Magnussen mal teve tempo de se preparar para começar a temporada, mas com seu quinto lugar no Bahrein, ele imediatamente mostrou que poderia conquistar bons resultados para a equipe.

Por enquanto, parece não haver nada que possa impedir a equipe americana de renovar o seu contrato. Entretanto, com seu novo companheiro de equipe Nico Hulkenberg, que vai substituir Schumacher, ele tem um piloto experiente ao seu lado. Portanto, se o dinamarquês conseguir bons resultados na próxima temporada, um novo compromisso com a Haas é uma questão de tempo.

Hulkenberg

Para Hulkenberg, a oportunidade de garantir um lugar na categoria apareceu de repente no final do ano passado. O alemão decidiu conversar com a Haas sobre o interesse que a equipe tinha nele. As conversas o deixaram tão animado que ele ficou convencido de que o time pode dar grandes passos na Fórmula 1 nos próximos anos e se afastar da parte de baixo do grid.

Entretanto, ele também terá que provar que foi a equipe fez a escolha certa, pois com um contrato de apenas um ano, ele dificilmente terá tempo para se acostumar com os novos carros da Fórmula 1. Não é à toa, portanto, que Hulkenberg já está ocupado nos bastidores se preparando para a nova temporada. De fato, assim como Magnussen, se ele conseguir bons resultados em 2023, o experiente piloto de 35 anos poderá ficar ainda mais tempo na categoria.

Zhou

Para Zhou, aplica-se um pouco o mesmo que Tsunoda, com a grande diferença de que o chinês teve apenas uma temporada na Fórmula 1. O talento começou o ano com um décimo lugar no Bahrein, mas depois levou até meados de junho antes de conseguir terminar de novo entre os dez primeiros. No final do ano, ele terminou com 6 pontos, o que foi 43 pontos a menos que seu companheiro de equipe Valtteri Bottas.

Durante os próximos 12 meses, a Alfa Romeo terá a oportunidade de analisar sua parceria com Zhou. De fato, a equipe quer avançar no futuro próximo e precisa de pilotos que possam apoiar suas ambições. Uma tarefa clara aguarda por Zhou, portanto, que é tirar o máximo proveito de seu carro, já que o primeiro chinês na Fórmula 1 não vai querer sair da Alfa Romeo no final do ano.