tag-background-image

driver

Lewis Hamilton


3

0 PTS

nationality
England
place
Stevenage
date
07-01-1985
debut
2007

Lewis Hamilton

O clássico caminho até a Fórmula 1, passando pelo kart, Fórmula Renault, Fórmula 3 e Fórmula 2, também foi trilhado pelo sete vezes campeão mundial Lewis Hamilton. O britânico apareceu ao mundo no início de 2007 em seu primeiro Grande Prêmio, e abalaria o esporte a partir de então.

F1 Standings

Pos.NameTeamPoints
1Max VerstappenRed Bull Racing0
2Sergio PerezRed Bull Racing0
3Lewis HamiltonMercedes AMG F1 team0
4Fernando AlonsoAston Martin F1 team0
5Charles LeclercFerrari0
6Lando NorrisMcLaren0
7Carlos SainzFerrari0
8George RussellMercedes AMG F1 team0
9Oscar PiastriMcLaren0
10Lance StrollAston Martin F1 team0
11Pierre GaslyAlpine F1 team0
12Esteban OconAlpine F1 team0
13Alexander AlbonWilliams0
14Yuki TsunodaVisa Cash App RB0
15Valtteri BottasStake F1 Team0
16Nico HulkenbergHaas F10
17Daniel RicciardoVisa Cash App RB0
18Guanyu ZhouStake F1 Team0
19Kevin MagnussenHaas F10
20Liam LawsonVisa Cash App RB0
21Logan SargeantWilliams0
22Nyck de VriesVisa Cash App RB0

Com os seus recém completados 39 anos, Hamilton figura entre os maiores pilotos da história do automobilismo. Ao lado de Michael Schumacher, o britânico coleciona um incrível número de 7 títulos mundiais, sendo o piloto com o maior número de vitórias na categoria: 103. 

Porém, Lewis Hamilton ainda sonha com o seu oitavo título para se tornar o recordista absoluto na Fórmula 1. No entanto, a sua equipe, a Mercedes, não conseguiu desenvolver um carro competitivo nas duas últimas temporadas, impossibilitando o heptacampeão de disputar o campeonato. Será que a história vai mudar em 2024?

Um começo sem precedentes

Agora com 39 anos, o piloto nascido em Stevenage tem obtido muito sucesso desde o primeiro momento em que entrou em um carro de corrida. Suas vitórias na Fórmula 3 Europeia e seu título da GP2 com a equipe ART logo na primeira temporada na categoria, imediatamente permitiram ao britânico conquistar uma vaga na F1 com a equipe McLaren.

Em sua primeira temporada na categoria em 2007, Hamilton perdeu o campeonato por uma diferença de apenas um ponto para o piloto finlandês Kimi Raikkonen e sua Ferrari.

Um ano depois, porém, ele conseguiu conquistar o seu primeiro título, se tornando o mais jovem campeão mundial de todos os tempos. Um recorde que duraria por alguns anos, sendo superado apenas por Sebastian Vettel em 2010.

Recessão

Um vice-campeonato em 2007 e um título em 2008: Hamilton parecia ter pegado o gosto pelas vitórias, mas os anos seguintes não foram nada fáceis. A McLaren não conseguiu tornar o MP4-23 em um carro competitivo, sendo incapaz de alcançar bons resultados naquele ano. Hamilton nunca chegou acima da quinta posição em 2009, mas uma grande mudança estava a caminho.

Para a temporada de 2010, o experiente Jenson Button seria o novo companheiro de equipe de Hamilton. Também considerado um herói britânico, Button havia conquistado o título mundial um ano antes, quando ainda corria pela equipe Brawn GP (que foi comprada pela Mercedes em 2010). A compra da Brawn pela Mercedes proporcionou a volta de Michael Schumacher à categoria, e também a saída de Button para a McLaren.

A McLaren parecia ter conseguido desenvolver um carro competitivo novamente, porém os próximos quatro anos seriam marcados pela supremacia da Red Bull Racing. Sendo incapaz de alcançar novos títulos pela equipe de Woking, Hamilton fez uma aposta de alto risco: o britânico trocou de equipe e assumiu um assento na Mercedes em 2013. Uma equipe que, naquela época, ainda estava longe de ser competitiva. Diferente de seu antigo rival (e companheiro de equipe) Fernando Alonso, Hamilton parecia ter feito a escolha certa.

No caminho para o domínio

Na fábrica da Mercedes, o desenvolvimento do carro acontece de forma tão veloz quanto o carro em si. Em sua primeira temporada com a equipe alemã, Hamilton conseguiu conquistar vários pódios e uma vitória. O Grande Prêmio da Hungria foi creditado a ele, e esse seria o início de um longo período de domínio da Mercedes na Fórmula 1.

Nas temporadas de 2014 e 2015, Hamilton derrotou o seu companheiro de equipe e conseguiu o seu segundo e terceiro títulos na categoria, igualando o número de títulos do lendário Ayrton Senna. Claramente o relacionamento dentro da equipe não era dos melhores e só viria a piorar na temporada de 2016. Naquele mesmo ano, Nico Rosberg conquistou o seu primeiro título e surpreendeu a todos quando anunciou que iria se aposentar da Fórmula 1.

Uma decisão inesperada até mesmo para a Mercedes, que deveria se apressar para procurar um substituto para o alemão. A equipe optou pelo piloto da Williams, Valtteri Bottas. A partir da temporada de 2017, o finlandês se tornou o novo companheiro de equipe de Hamilton, claramente ocupando a posição de segundo piloto.

Nos primeiros quatros anos de Bottas com a equipe Mercedes, Hamilton conquistou mais quatro títulos de forma muito convincente, se tornando estatisticamente o piloto de Grande Prêmio mais bem sucedido de todos os tempos. Apenas nas temporadas de 2017 e 2018 que houve competição contra Vettel e a Ferrari, mas nas duas ocasiões Hamilton impiedosamente reverteu na segunda metade do ano as vantagens que o piloto alemão tinha sobre ele.

Em sua perseguição por novos recordes, o ano de 2020 foi especialmente importante para ele. Naquele ano, ele bateu o número de vitórias de Michael Schumacher, e igualou o número de títulos mundiais do piloto alemão. No entanto, ele ainda precisava de mais um título para ser coroado como o maior vencedor de todos os tempos da Fórmula 1.

A derrota para Verstappen em 2021

A temporada de 2021 parecia uma excelente oportunidade para alcançar esse objetivo. O regulamento permanecia praticamente o mesmo, fazendo com que a Mercedes novamente fosse a grande favorita para a temporada. Além de seu companheiro de equipe, somente Max Verstappen e a Red Bull Racing pareciam ser adversários capazes de se tornarem uma verdadeira ameaça. 

A primeira corrida da temporada provou isso. A Red Bull não ficou parada durante o inverno e conseguiu desenvolver pela primeira vez um carro competitivo para Verstappen. O Grande Prêmio do Bahrein teve Lewis Hamilton como vencedor, mas o piloto da Red Bull estava logo atrás.

O ritmo forte de Verstappen e da Red Bull continuou nas corridas seguintes. Hamilton cometeu uma série de erros sob pressão, fazendo com que ele ficasse bem atrás na classificação até a metade do ano. A Mercedes evoluiu bastante após as férias de verão, e o piloto da Red Bull colecionou alguns abandonos durante a segunda metade da temporada, permitindo que ambos chegassem na última corrida empatados na classificação.

Naquele momento, parecia claro que o piloto da Mercedes conquistaria seu oitavo título mundial, pois Verstappen e a Red Bull não estavam conseguindo acompanhar o ritmo da equipe alemã naquele final de semana. Durante a corrida, a Mercedes acabou sendo estrategicamente superada pela rival Red Bull, e um Safety Car nas últimas voltas daria mais uma chance para Verstappen conquistar o título. Ele imediatamente aproveitou a oportunidade, ultrapassando Hamilton na última volta e acabou com o sonho do britânico de conquistar o seu oitavo título mundial.

Lewis Hamilton em 2022

Pela primeira vez em anos, Hamilton havia sido derrotado. Com a mudança nos regulamentos da Fórmula 1 para 2022, ninguém sabia ao certo quais equipes se destacariam na nova temporada. Hamilton esperava ter a chance de disputar o título novamente, mas a Mercedes cometeu um enorme erro no desenvolvimento de seu carro, o W13, e não conseguiu ser nada competitiva naquele ano. A única vitória da equipe foi no Grande Prêmio de São Paulo, com George Russell. O novo companheiro de equipe de Hamilton acabou terminando o campeonato na frente do heptacampeão, o que fez muitas pessoas questionarem o seu desempenho.

Lewis Hamilton em 2023

Após o fracasso de 2022, a Mercedes e Hamilton esperavam voltar mais fortes em 2023. Porém, a equipe alemã mais uma vez errou no desenvolvimento de seu carro e preferiu insistir no projeto fracassado do ano anterior. O W14, assim como seu antecessor, não foi competitivo, impossibilitando Hamilton de sonhar mais uma vez com o seu oitavo título mundial.

No entanto, se o carro era ruim, por outro lado Hamilton mostrou mais uma vez porque é um dos maiores da história. Apesar de não ter conseguido vencer nenhuma corrida, o britânico foi o “melhor do resto” em uma temporada amplamente dominada pela Red Bull Racing e Max Verstappen. Hamilton terminou o campeonato na 3ª posição com 234 pontos, ficando 59 pontos à frente de George Russell. 

Lewis Hamilton em 2024

A Mercedes já afirmou que terá um conceito de carro totalmente diferente para a próxima temporada. Desta forma, Lewis Hamilton pode novamente ter a esperança de voltar a brigar por vitórias na categoria. Apesar de estar há dois anos sem vencer, o heptacampeão frequentemente dá indícios de que continua tão talentoso como sempre foi. Se ele realmente conseguirá desafiar Max Verstappen e a Red Bull, precisaremos esperar para ver.