driver

Pierre Gasly


13

23 PTS


nationality
France
place
Rouen
date
07-02-1996
debut
2017

Pierre Gasly

A estreia de Pierre Gasly em 2019 pela equipe da Red Bull Racing foi diferente do esperado. Ainda no meio da temporada, ele foi transferido de volta para a equipe Toro Rosso. Lá, o francês recuperou sua forma e em 2020 conseguiu coroá-la com uma vitória fenomenal no circuito de Monza. Gasly vai pilotar para a AlphaTauri novamente este ano, deixando a porta entreaberta para a Red Bull.

F1 Standings

Pos.NameTeamPoints
1VERMax VerstappenRed Bull Racing341
2LECCharles LeclercFerrari237
3PERSergio PerezRed Bull Racing235
4RUSGeorge RussellMercedes AMG F1 team203
5SAICarlos SainzFerrari202
6HAMLewis HamiltonMercedes AMG F1 team170
7NORLando NorrisMcLaren100
8OCOEsteban OconAlpine F1 team66
9ALOFernando AlonsoAlpine F1 team59
10BOTValtteri BottasAlfa Romeo F1 team46
11RICDaniel RicciardoMcLaren29
12VETSebastian VettelAston Martin F1 team24
13GASPierre GaslyScuderia AlphaTauri23
14MAGKevin MagnussenHaas F122
15STRLance StrollAston Martin F1 team13
16SCHMick SchumacherHaas F112
17TSUYuki TsunodaScuderia AlphaTauri11
18ZHOGuanyu ZhouAlfa Romeo F1 team6
19ALBAlex AlbonWilliams4
19ALBAlexander AlbonWilliams4
20DEVNyck de VriesWilliams2
21LATNicholas LatifiWilliams0
22HULNico HulkenbergAston Martin F1 team0

Rostos familiares

Assim como muitos outros jovens talentos, Pierre pavimentou o seu caminho através das categorias mais baixas do automobilismo antes de entrar no radar de uma grande equipe. Logo após a Red Bull incluir o francês em seu programa júnior em 2014, Gasly foi derrotado na Fórmula Renault 3.5 por outro jovem talento no programa: Carlos Sainz. 

Um ano depois, Gasly foi correr em tempo integral na Fórmula 2 (então GP2) mas não alcançou bons resultados logo de imediato. Foi só quando o francês se mudou para a equipe Prema em 2016 (onde Gasly foi companheiro de equipe de Antonio Giovinazzi) que o francês finalmente acordou. Ele ganhou o título e, como recompensa, conquistou a vaga de piloto reserva da Red Bull Racing.

Estreia adiada

Na temporada seguinte, o francês também estava na lista para ocupar uma vaga na Toro Rosso. A aventura foi cancelada e Gasly, com o apoio da Red Bull, foi disputar a Super Fórmula no Japão. 

Embora Gasly tenha tido um excelente desempenho na série, o francês não conseguiu conquistar o título. Porém, isso não estragou a diversão do francês, que em breve ocuparia uma vaga na equipe Toro Rosso: Daniil Kvyat havia sido retirado do programa e Gasly poderia tomar seu lugar na equipe e correr ao lado de Carlos Sainz no restante da temporada da Fórmula 1.

O espanhol, no entanto, também saiu da equipe durante a temporada (foi para a Renault como parte de uma grande troca entre a equipe francesa, a Honda e a Toro Rosso), permitindo com que Brendon Hartley se tornasse o novo companheiro de equipe de Gasly. Para o Grande Prêmio dos EUA, Daniil Kvyat teve que ser chamado novamente, já que Pierre tinha que participar de sua última corrida da temporada na Super Fórmula: uma corrida que foi cancelada devido às condições climáticas, deixando Gasly encalhado na segunda posição.

Impressionar

Brendon Hartley e Pierre Gasly continuaram formando a dupla de pilotos da Toro Rosso para a temporada de 2018, com Gasly evidentemente conseguindo melhores resultados. O grande momento da temporada aconteceu no Bahrein, onde o jovem francês conseguiu terminar a corrida na quarta posição. No restante da temporada, no entanto, houve uma queda nos resultados enquanto que o número de penalidades no grid só aumentavam. 

A Toro Rosso se tornou a cobaia da Red Bull para fazer do motor Honda o melhor possível, antes que a própria equipe com base em Milton Keynes começasse a pilotar com a unidade de potência japonesa em 2019. Não foi somente a transferência de motor para a Red Bull que aconteceu, mas Pierre também se mudou para a equipe principal da empresa de energéticos. Daniel Ricciardo se mudou para a Renault, permitindo com que Gasly se tornasse o companheiro de equipe de Max Verstappen. Daniil Kvyat foi convocado novamente por Helmut Marko para ocupar a vaga na Toro Rosso.

A mudança para a Red Bull veio cedo demais para Gasly. O jovem francês não estava nem perto do ritmo de Verstappen e já causava dores de cabeça nos diretores da Red Bull logo no início da temporada durante os testes de inverno, quando bateu com seu carro no muro duas vezes. Durante a primeira metade da temporada, Gasly nunca conseguiu encontrar o seu ritmo e foi substituído no intervalo do meio do ano.

No mesmo lugar para onde Kvyat foi rebaixado, foi exatamente onde Gasly se encontrou novamente. A pressão parecia ter saído de seus ombros, fazendo com que o carro da Toro Rosso se enquadrasse muito melhor no seu estilo de pilotagem. A maior recompensa pelo seu desenvolvimento veio no Grande Prêmio do Brasil em 2019, quando o francês terminou na segunda colocação em uma corrida caótica em Interlagos. 

Resultados consistentes em 2021

Em 2020, Pierre Gasly continuou essa tendência de alta em seu primeiro ano na AlphaTauri. Embora o início tenha sido difícil, o carro do francês ganhou vida em Monza. Uma boa estratégia em meio a uma corrida caótica resultou em uma corrida fenomenal na qual o francês conquistou a sua primeira vitória na F1. Ele terminou em décimo na classificação. 

Bons resultados em Portimao e no Nürburgring também mostraram que o francês deu muitos passos à frente desde seu rebaixamento dentro da família Red Bull. Essa confiança também foi expressada pelo seu atual empregador, que estendeu o seu contrato até a mudança no regulamento em 2022.

Assim, em 2021, o piloto de Fórmula 1 correu pela equipe AlphaTauri, desta vez com o novato Yuki Tsunoda ao seu lado. 2021 foi o ano em que Gasly se mostrou um verdadeiro líder de equipe em sua quinta temporada na F1. Com um pódio conquistado e performances consistentes, o francês provou ser um bom professor para seu novo companheiro de equipe.

Pierre Gasly em 2022

Em 2022 Gasly espera impressionar a Red Bull Racing o suficiente para reivindicar uma segunda chance ao lado de Max Verstappen. Seu contrato expira no final desta temporada e o francês já deixou claro que se sente merecedor de uma vaga na equipe principal da Red Bull. No entanto, a equipe ficou satisfeita com o desempenho de Sergio Perez em 2021.