Wolff ainda não perdoou Masi após final em 2021: "Um idiota"

F1 News

toto wolff chama michael masi de idiota
5 de dezembro no 07:00
  • Vicente Soella

Já se passaram mais de dois anos desde que Lewis Hamilton venceu seu último Grande Prêmio em Jeddah. O britânico estava no caminho certo para vencer também o Grande Prêmio de Abu Dhabi uma semana depois, até que um erro do diretor de prova Michael Masi permitiu que Max Verstappen assumisse a liderança da corrida e conquistasse também o título mundial. O chefe da equipe Mercedes, Toto Wolff, ainda não conseguiu perdoar Masi por isso.

A última volta do Grande Prêmio de Abu Dhabi entrou para os livros como uma das mais controversas da história da Fórmula 1. Nos estágios finais da corrida, o carro de segurança foi acionado devido a um acidente de Nicholas Latifi. Depois que os destroços da Williams do canadense foram removidos, nem todos os retardatários tiveram a permissão para dar uma volta completa para e se posicionarem novamente em suas posições certas, mas apenas aqueles que estavam entre Max Verstappen e Lewis Hamilton. Desta forma, o holandês ficou logo atrás de Hamilton na relargada. Com pneus mais novos, o britânico foi presa fácil para Verstappen durante a última volta.

A FIA admitiu o erro de Masi

Mais tarde, a FIA admitiu em um relatório que Masi havia aplicado mal as regras. "O diretor de prova chamou o safety car de volta aos boxes sem que ele tivesse completado uma volta adicional, conforme exigido pelo Regulamento Esportivo da Fórmula 1. Até agora, o processo de identificação de carros com volta era manual e o erro humano levou ao fato de que nem todos os carros foram autorizados a se desvencilhar", declarou a FIA na época. O erro não pôde ser revertido pela associação.

A decisão de Masi ajudou a impedir que Hamilton conquistasse o oitavo título mundial, algo que Wolff ainda acha difícil de aceitar dois anos depois. Em entrevista à versão brasileira do Motorsport.com, o austríaco falou de "cicatrizes enormes". "Mas eu não quero perder um minuto [pensando] sobre as razões [pelas quais isso aconteceu], porque isso daria ao homem (Masi) muito crédito. Ele é apenas um idiota que tomou a decisão errada", disse Wolff.